“SÍNDROME DA OBESIDADE DA TECNOLOGIA”* by Dra. Gláucia Barreiro

Prezados amigos,

Gostaria de compartilhar com todos  um texto da colega Dra. Gláucia Barreiro da turma de MBA em Direito Eletrônico que estou cursando na Escola Paulista de Direito.

“SÍNDROME DA OBESIDADE DA TECNOLOGIA”*

 Sem dúvida entre as tantas coisas que a mulher moderna tem para cuidar, se dedicar e se preocupar, surge nos últimos tempos uma nova síndrome.

Se cuidar da casa, dos filhos, do marido, do trabalho ou do próprio escritório, e ainda encontrar tempo para os cuidados com o corpo, unhas, cabelos, pele, roupas e acessórios, e terapia, já parecia muito, agora a mulher, e não só ela é claro, tem que dar conta de atender aos reclamos da vida tecnológica.

Não é possível, no atual estágio do mundo moderno, onde as fronteiras e distâncias físicas deixaram de existir, onde informações e conhecimento são compartilhados com o mundo todo em questão de segundos, deixar de estar presente e ativa nas redes sociais.

Twitter, e-mail, Orkut, facebook, plugada no mundo pelo I-phone, smartphone, notebook e celulares.

São os novos círculos, as novas obrigações assumidas muitas vezes sem a devida reflexão e cuidado. Conectar-se ao mundo é a nova ordem social para integração ou até mesmo inclusão na sociedade, e, a partir daí saber fazer uso correto das ferramentas tecnológicas, administrando o tempo dedicado a elas, é o diferencial para manter o equilíbrio e a saúde mental.

Passa a surgir, segundo termo usado pelo Prof. Dr. Valdéres Fernandes Pinheiro, a “síndrome da obesidade da tecnologia”*.

Se a obesidade do corpo, ou o peso fora do padrão imposto pela sociedade já era um dos grandes problemas a perturbar o universo feminino, agora há o perigo da obesidade da tecnologia.

Perigo esse a que se deve prestar muita atenção, pois o uso frenético da tecnologia, em especial para participar das redes sociais, pode trazer danos muito mais severos que os decorrentes de uma briga constante com a balança.

Estar 24 horas por dia plugada no mundo exige um nível de concentração que pode por em xeque mate muitas das vantagens oferecidas pela tecnologia.

Contratos são firmados sem ser conhecidos, informações confidenciais são despachadas sem segurança, simples comentários podem ferir a honra, enfim, se a mulher moderna vai encarar mais essa “tendência”, tem que estar atenta para não vir a sofrer da “síndrome da obesidade da tecnologia” e se enfiar em conflitos que nem mesmo horas de academia e terapia poderão resolver.

O bom sinal de tudo isso é que, como todo momento histórico significativo ganha a contrapartida da evolução do homem e do Direito, esta ciência já se estrutura para abarcar os conflitos que surgem.

A teoria desse novo direito, que chamamos de: Direito Eletrônico, vem sendo difundida nos meios acadêmicos por doutores de renomada qualificação. Os profissionais do direito especializam seus estudos para garantir que a sociedade absorva e usufrua os benefícios da nova ordem social eletrônica e tecnológica, globalizada, com a máxima segurança e liberdade possível.

Se para cuidar da obesidade do corpo o profissional da saúde, física e mental, deve ser procurado, para cuidar da “síndrome da obesidade da tecnologia” o médico e o terapeuta, aqui, são o profissional em TI e o seu advogado!

Glaucia Barreiro
Advogada  da Barreiro e Mazarotto Sociedade de Advogados
Aluna de MBA Direito Eletrônico

Anúncios

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s